Continua após a Publicidade

Flamengo vem muito forte na atual janela de transferência

Além das vitórias sobre Fortaleza e Athletico-PR, o Flamengo teve semana agitada pelos reforços. Luiz Araújo e Rossi foram apresentados, e o primeiro inclusive estreou na vitória sobre o Furacão. Allan, por sua vez, dará entrevista na próxima segunda-feira. Mas o clube para por aí? Não. A prioridade ainda é trazer mais um meio-campista.

O desejo do Flamengo é trazer um meia que possa fazer diferentes funções no setor e também pelos lados do campo. Os dois grandes alvos são De La Cruz, do River Plate, e Claudinho, do Zenit. Os dois clubes não querem vender, mas os jogadores desejam, sim, defender o Rubro-Negro.

Continua após a Publicidade

Durante a coletiva de apresentação de Rossi, na última quinta-feira, Marcos Braz afirmou que o Flamengo continua interessado em Claudinho e que também não desistiu de De La Cruz. Em relação ao atleta do Zenit, os russos ainda não o precificaram. O Fla pretende pagar 16 milhões de euros (R$ 85 milhões), mas sabe que a contraproposta deve superar bem tais cifras.

— O jogador interessa ao Flamengo, o empresário sabe as condições que o Flamengo pode chegar. Essa matéria está com eles agora. É ter tranquilidade, vamos esperar. O River Plate classificou, era uma possibilidade muito pequena de acontecer (não classificar). Mas qualquer clube precisa vender em algum momento, até nós precisamos. Certamente o River analisa o tamanho e a importância do jogador para eles. A gente não vai sair da negociação, o jogador nos interessa. Vamos procurando outros caminhos e ver se em algum determinado momento eles se interessam em negociar a multa – afirmou.

A obsessão de Sampaoli segue sendo esse meia polivalente tão desejado, mas um novo zagueiro segue em pauta. O Flamengo consultou o Benfica para tentar um empréstimo de Lucas Veríssimo, mas a resposta dos portugueses não agradou num momento.

Os encarnados propuseram um empréstimo com obrigação de compra e direitos econômicos fixados em 8 milhões de euros (R$ 42,5 milhões). A cláusula que tornaria a compra obrigatória, porém, não agradou ao Flamengo. Bastaria que Lucas cumprisse de 15 a 20 jogos, número considerado baixo pela diretoria rubro-negra. Se as condições não forem alterados, não haverá negócio.

Continua após a Publicidade