O Campeonato Carioca 2021 tem início previsto para o próximo dia 27, mas o sistema de divisão de cotas pela venda dos direitos de transmissão ainda não está decidido, pois o Flamengo não aceita receber o mesmo que os outros clubes pelos direitos do pay-per-view (PPV).

De acordo com a Coluna do Gilmar Ferreira, do jornal “Extra”, o Rubro-Negro aceitou a divisão das receitas provenientes da TV aberta – os quatro grandes ficam com 60% do valor líquido e os 40% restantes ficarão com os chamados pequenos -, mas se nega a manter a mesma divisão no sistema PPV.

Na última reunião arbitral com a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), o Flamengo propôs ficar com 60% da arrecadação líquida no PPV, com 20% para o Vasco, 10% para o Fluminense e 10% para o Botafogo. Os pequenos clubes ficariam sem qualquer valor.

Os outros três grandes não aceitaram e tiveram ainda o apoio das agremiações menores.

Existe a possibilidade de que a divisão seja feita de acordo com a paixão do torcedor. Ao assinar o PPV, o torcedor declara o clube de sua preferência e o percentual das adesões de cada torcida determinará a participação do clube no rateio.

Desta forma, nesta quinta-feira (11), os clubes vão se reunir novamente e deverão bater o martelo pela proposta da Record pela compra dos direitos de TV aberta em contrato de dois anos – a oferta é de R$ 11 milhões para 2021 e R$ 15 milhões para 2022.

O Campeonato Carioca será disputado entre os dias 27 de fevereiro e 26 de maio, e a agência escolhida pela Ferj para negociar com os clubes acredita que a arrecadação terá ainda mais R$ 30 milhões em cotas de patrocínio e “naming rights” do Estadual, além de mais R$ 40 milhões em PPV – totalizando cerca de R$ 80 milhões.

É bom lembrar que até 2020 a TV Globo pagava por todas as mídias R$ 120 milhões – cada grande faturava R$ 18 milhões, mas o Flamengo rompeu porque queria ganhar R$ 80 milhões sozinho.

Retirado de: Torcedores

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui