Isla, lateral do Flamengo — © Alexandre Vidal
Continua após a Publicidade

Titular, multicampeão e respeitado pelo treinador. Apesar de todas essas credenciais, o lateral-direito Maurício Isla é, no momento, o único dos 11 principais jogadores que lida com muitas críticas da torcida e busca uma afirmação no time. Por isso, conquistar a Libertadores, neste sábado (27), não seria nada mau. O adversário, todos já sabem: o Palmeiras, no Estádio Centenário, em Montevidéu, capital do Uruguai, às 17h.

Ele conhece bem este tipo de decisão. Pela seleção chilena, ganhou duas Copas América, em 2015 e 2016, ambas em jogo único e como titular. Nas duas ocasiões, atuou 90 minutos. Com esse currículo pela seleção e por grandes times na Europa como Juventus, Olympique de Marselha e Fenerbahçe, Isla quer ser útil e, quem sabe, decisivo contra o Palmeiras.

Continua após a Publicidade

Contratado às pressas para substituir Rafinha, ele chegou para manter o sarrafo lá em cima, em agosto do ano passado. Conquistou Brasileiro, mas com derrota no último jogo, e Supercopa do Brasil, nos pênaltis, sobre esse mesmo Palmeiras.

Invicto na Libertadores deste ano, ele agora quer uma taça para subir de nível com a torcida. Ele também ganhou Taça Guanabara e Carioca, mas ele praticamente não jogou. Ao todo, ele tem dois gols e 14 assistências em 69 jogos pelo Flamengo.

Continua após a Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui